ENTIDADES FAZEM APELO PARA PREFEITURA, CPFL E DAE

Escrito por em março 31, 2020

Entidades ligadas a comerciante e empresários de Americana fizeram pedidos de prorrogação e parcelamento de impostos e tributos para a Prefeitura, Companhia Paulista de Força e Luz e Departamento de Água e Esgoto, alegando que a falta de vendas vai inviabilizar o pagamento destes compromissos. Os três questionados ainda não se manifestaram. Também pediram a reconsideração do prefeito Omar Najar (MDB) no decreto que fecha vários tipos de estabelecimentos. “Reconhecemos a necessidade de medidas sanitárias para conter o avanço da pandemia do coronavírus (Covid-19). Porém, entendemos que, mesmo com a realização das atividades comerciais, é possível impedir a propagação do vírus com cuidados de higiene, comportamento social e adoção de medidas restritivas menos drásticas do que o fechamento dos estabelecimentos”, traz a carta. O presidente da Acia, Wagner Armbruster, enaltece que a classe empresarial precisa de apoio urgente. “As micro e pequenas empresas serão fundamentais no pós-crise. O ineditismo do atual momento, nos exige a implantação de medidas extremas e excepcionais. Contamos com ajuda da Prefeitura para que possamos manter os empregos, evitar o caos social e oferecer condições para que a classe empresarial sobreviva”, completou Wagner Armbruster. O que eles pedem:

  • IPTU 2020. Solicita a postergação do pagamento das parcelas do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) com vencimento de abril a dezembro. Os valores serão pagos a partir de 2021, de forma parcelada, em até 36 vezes. 
  • ISS (IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS). Em decorrência da redução, ou mesmo paralisação das vendas, as empresas não terão como cumprir os compromissos, assim, é necessário prorrogar o vencimento do ISS (Imposto Sobre Serviços (ISS). Os valores serão pagos a partir 2021, de forma parcelada, em até 36 vezes. 
  • SIMPLES NACIONAL. Solicita que a cota que faz jus à municipalidade seja postergada por seis meses, tal qual ocorreu com a cota do governo federal. A FACESP (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo) é portadora da mesma solicitação ao governo estadual. 
  • DEMAIS TAXAS. Solicita a postergação do pagamento de demais taxas vigentes em 2020, como o Alvará de Licença (taxa de fiscalização e instalação) e a TFE (Taxa de Fiscalização de Estabelecimentos). 
  • DAE e CPFL. Reivindica que sejam cobradas as tarifas mínimas de consumo de todas as empresas do município. O excedente deverá ser parcelado, com início do pagamento em 2021. Outro ponto de grande importância é a suspensão do corte de fornecimento, durante este período de crise do Covid-19.

Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]